Grundstück zu kaufen in Argivai, Portugal

1.500.000 EUR

Argivai

Grundstück • Ref: C0436-00268

Terreno para construção com 20649 m2 na Póvoa de Varzim, ArgivaiAqui pode desenvolver a construção de habitação de 15 a 20 Moradias Com duas frentes, uma delas junto a escola.Zona residencial em desenvolvimento.Próximo a auto-estrada A28 Argivai é uma zona urbana da Póvoa de Varzim em Portugal. Localizada na União das Freguesias de Póvoa de Varzim, Beiriz e Argivai É paróquia desde a época medieval, foi também uma antiga freguesia civil, teve esse estatuto civil entre 1836 e 1842 e, pela última vez, entre c. 1853 e 2013[2]. É uma das freguesias eclesiásticas da cidade da Póvoa de Varzim, e está dividida em duas partes: Argivai e Gândara.Paróquia-mãe da Póvoa até ao século XV. Pinho Leal em Portugal Antigo e Moderno identifica como certo que o primeiro assento da igreja de Argivai foi no lugar da Varzinha e este identifica este lugar como a Póvoa de Varzim. A Argivai estão associadas devoções religiosas poveiras (e, por inerência, das Caxinas e Poça da Barca), como o Senhor dos Milagres, Nossa Senhora do Bom Sucesso e o Dia do Anjo.[3] História da paróquiaO nome da paróquia é de origem germânica e provem de Argivadi, de que é memória viva o Castro de Argivai; no entanto é popularmente conhecida na Póvoa de Varzim como Anjo. A Argivai está associado o Dia do Anjo, quando a população da Póvoa de Varzim se reunia nas bouças de Argivai para um piquenique familiar, visto que parte da população tinha ali origem.Aqueduto de Santa Clara em Argivai.Em 1220, o Rei D. Afonso II tinha em Argivai 22 casais rústicos e um amo do rei, possivelmente um aio de D. Sancho I, filho deste e de D. Maria Pais Ribeira, senhora de Vila do Conde e amante de D. Sancho I, conhecida como Ribeirinha. Em Quintela, havia um bom casal reguengo, que tinha passaro possivelmente um de paço no tempo de D. Sancho. Em Quintela, é recente o topónimo do Campo do Paço, casa com privilégios de Couto ou honra. Segundo o Tombo da Casa de Bragança, à casa estavam ligados os Condes de Barcelos e os descendentes de D. Maria Pais.[4]Outrora a paróquia de Argivai abarcava todo o território de Varzim. Note-se contudo que Varzim era, desde a fundação do condado portucalense, um vasto terrório feudal com autonomia administrativa e militar, uma honra de cavaleiros, abarcando todo o território desde a costa aos montes de Laundos e Terroso. Nas inquirições de 1220, diz-se que no Reguengo de Varzim, que era pousa do mordomo do Rei, havia 20 casais, que davam ao rei, quando aí vinha, 6 dinheiros por pensão.[4]Em 1626, a abadessa do mosteiro de Santa Clara em Vila do Conde, D. Maria de Meneses, deu início á construção de um aqueduto que transportaria as águas de uma nascente em Terroso até ao mosteiro. O aqueduto rapidamente se tornou na principal marca paisagística e arquitectónica da freguesia.Com a autonomia política da Póvoa de Varzim e a permanência da paróquia de Argivai nos domínios de Barcelos, o seu território foi objecto de contenda entre os dois concelhos. Vindo a paróquia de Argivai a perder, novamente, território em 1707, anexado à Póvoa de Varzim. Em 1836, a freguesia hoje é anexada ao concelho da Póvoa de Varzim. No ano de 1842, a freguesia de Argivai chega mesmo a desaparecer, sendo anexada à freguesia da Póvoa de Varzim.[4] Já pouco antes da nova reforma de 1853, a freguesia já se encontrava recuperada. (ref:C0436-00268)

Oberflächen

Grundstück/Bauland20649 m²

Argivai

Bewertung der EnergieeffizienzKeine Daten
Bewertung der Umweltbelastung (CO₂)Keine Daten